> Squash é a melhor prática desportiva oogle-font-default-css' href='//fonts.googleapis.com/css?family=PT+Sans&subset=latin%2Clatin-ext&ver=4.8 .7' type='text/css' media='all' /> pt> esheet' href='//squashtime.com.br/wp-content/cache/wpfc-minified/9c778b2dca6 5ae11c8ec514fbc5a5668/1435075577index.css' type='text/css' media='all' /> "text/javascript">var switchTo5x=true;

Squash é a melhor prática desportiva

O esporte preferido de Wall Street. É assim que a revista Forbes descreve o squash, modalidade que conquistou o primeiríssimo lugar no ranking da publicação dos 10 melhores exercícios para as pessoas praticarem.

Apelidado de “esporte conveniente”, pois com apenas 30 minutos de prática o jogador pode queimar mais de 500 calorias, o squash conquistou o posto por obter notas altas em todos os quesitos analisados pela revista (veja quadro). Ótimo para adquirir condicionamento físico, já que traz benefícios para o sistema cardiorrespiratório, a modalidade tem um ritmo frenético, que desenvolve força e resistência muscular, aliado a um risco de lesões baixo.

“O squash trabalha principalmente as pernas e os glúteos por causa da movimentação constante dentro da quadra. O jogo rápido garante uma maior percepção espacial e também exige bastante coordenação motora dos jogadores”, comenta a professora e atual número três no ranking brasileiro da modalidade, Cristina Pontes, 37 anos.

Ela conheceu o squash há 15 anos, quando trabalhava em uma academia que tinha praticantes do esporte. “Um cliente que jogava lá era muito calmo, tranquilo, mas quando entrava na quadra, virava outra pessoa. Eu o via superempolgado, gritando, feliz. Aí, fui ver que era o squash que o deixava assim e decidi tentar. Desde então, não parei. Me apaixonei”, conta.

“Acho que, além de ser um esporte que te proporciona muito condicionamento físico, o squash mistura trabalho aeróbio e anaeróbio com alto gasto calórico. E ele também te desafia, acima de tudo. O jogo muda a todo momento. Você tem que estar sempre atento, tem que pensar rápido”, continua Cristina.

Outro professor da modalidade, Rafael Sardá, 31 anos, destaca que o squash é de fácil aprendizado e divertido. Por isso, acaba conquistando quem joga. “As regras são simples, fáceis de serem assimiladas. E todo mundo já consegue fazer um joguinho logo na primeira aula, ao contrário do tênis, por exemplo, que sempre é comparado ao squash. Outro fator importante é que, como ele é praticado em quadras fechadas, não há essa questão climática. Faça chuva ou faça sol, dá para jogar”, diz.

Cristina Pontes e Rafael Sardá garantem que praticando squash o jogador dificilmente terá algum tipo de lesão mais séria. O mais comum, segundo eles, são dores no pulso. Mesmo assim, só para quem joga há muito tempo. Eles ressaltam, porém, que, ao iniciar a modalidade, é preciso tomar cuidado com boladas e raquetadas. “Geralmente, a pessoa começa meio descoordenada, não tem o jeito do jogo e pode atingir seu adversário com a raquete. Além disso, as bolinhas são perigosas, caso atinjam o olho, por exemplo”, alerta Cristina. “Por isso, é recomendável usar os óculos de proteção. Mas depois que você aprende a técnica é difícil acontecer algo”, frisa Rafael.

Metodologia A publicação norte-americana montou um ranking com os 10 melhores exercícios físicos para as pessoas praticarem. Para descobrir o melhor, a publicação atribuiu pontuações a cinco quesitos: resistência cardiorrespiratória, força, resistência muscular, flexibilidade e gasto calórico tiveram pontuação de um a cinco, sendo cinco “excelente” e, um, “nada especial”. Enquanto isso, risco de lesão recebeu notas de um a três, sendo três “baixo” e, um, “alto”. Com o ranking em mãos, o Correio montou uma série de 10 reportagens em que mostramos cada uma das práticas esportivas citadas.

“O squash trabalha principalmente as pernas e os glúteos, por causa da movimentação constante dentro da quadra. O jogo rápido garante uma maior percepção espacial e também exige bastante coordenação motora dos jogadores”

Ranking da Forbes

  1. Squash 2. Remo 3. Escalada 4. Natação 5. Esqui cross country 6. Basquete 7. Ciclismo 8. Corrida 9. Pentatlo 10. Boxe

Diversão e queima de calorias

O fisioterapeuta Luiz Carlos Borges, 31 anos, jogava tênis havia seis anos. Porém, começou a época de chuva na cidade e, para não parar de praticar exercício, resolveu investir em um esporte que não dependesse das condições climáticas. Escolheu o squash por incentivo de um amigo e nunca mais parou.

“O que mais gostei foi a tensão do jogo mesmo. Por ser muito ágil e rápido, exige de você muita atenção. Para mim, ele acabou ganhando do tênis justamente por causa disso”, explica. “Gosto até hoje de assistir, mas jogando tênis você para o tempo inteiro, não é tão emocionante e divertido”, compara Luiz, que afirma ter se machucado somente uma vez por causa do squash. “Tive um estiramento na panturrilha e fiquei um tempinho sem jogar. Mas logo voltei. Gosto muito do esporte. Me ajudou a ter mais condicionamento físico e a ganhar força nas pernas”, afirma.

Ao contrário de Luiz Carlos, Riva Van Dernborg de Thuin, 43 anos, não chegou a ter lesão nos seus 10 anos de prática de squash. Mas confessa que, em uma ocasião, por erro de posicionamento em quadra, acabou levando uma bolada. “Foi a única vez, mas nem machucou não”, comemora. “Sempre faço a aula acompanhada da minha professora. E se você seguir todas as indicações direitinho, não há riscos”, garante a servidora pública, que pratica squash cinco vezes na semana. “Eu gosto do dinamismo do jogo. Para mim, é uma diversão e uma terapia. Além disso, é ótimo para queimar calorias e deixar a perna mais rígida”.

Notas do squash

Resistência cardiorrespiratória: 4,5 Força muscular: 3 Resistência muscular: 5 Flexibilidade: 3 Gasto calórico em 30 min(517kcal): 5 Risco de lesões: 2

Entenda os quesitos da eleição

» Força muscular: máxima tensão a que um músculo ou grupo muscular consegue chegar, segundo o Colégio Americano de Medicina do Esporte (ACSM).

» Resistência cardiorrespiratória: capacidade de utilizar oxigênio para gerar energia, expressa pelo VO2máx. Quanto mais, melhor.

» Resistência muscular: capacidade de resistir à fadiga, fazendo o maior número de contrações sem diminuir frequência, força, velocidade ou amplitude do movimento.

» Flexibilidade: amplitude de movimentação de uma articulação ao longo do movimento.

» Risco de lesões: risco de lesionar algum músculo ou articulação durante a prática do exercício.

» Gasto calórico: quantidade de calorias gastas para realizar os movimentos que a atividade exige.

http://www.squashfitness.com.br/squash-e-a-melhor-pratica-desportiva/

 

 

 

 

 

 

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *